Filiado à:

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Ladrilhos Hidráulicos, Produtos de Cimento, Fibrocimento e Artefatos de Cimento Armado de Curitiba e Região

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Ladrilhos Hidráulicos, Produtos de Cimento, Fibrocimento e Artefatos de Cimento Armado de Curitiba e Região

Salário mínimo volta ao mesmo nível de 2015, diz Dieese

 

 

Departamento intersindical pede que governo revise o reajuste para que brasileiro não perca poder de compra.

                              


(foto: Divulgação)

                       

O valor de R$ 954 para o salário mínimo deste ano não é suficiente para recompor o poder de compra do brasileiro. É o que aponta levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O aumento de 1,81% (em relação ao valor que vigorava em 2017) ficou abaixo da inflação medida pelo INPC, de 2,07%. Por isso, o Dieese pede a revisão do reajuste anunciado, de modo a "devolver ao salário mínimo o poder de compra do início do ano passado".

A pesquisa indica ainda que o valor do salário mínimo de 2018 voltou ao nível de 2015. Na época, o mínimo nominal era de R$ 788, mas passa para R$ 953,87 quando corrigido pela inflação acumulada desde então.

Para além disso, contudo, a correção abaixo da inflação ainda deve ter forte impacto sobre os gastos com benefícios sociais por parte do governo. É que haverá um aumento de quase R$ 382 milhões nos gastos previdenciários, o equivalente a 1% do total gasto com os benefícios pagos pelo país.

                             

Fonte: Bem Paraná, 15 de janeiro de 2018

 

Fonte: sintracimento.org.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − 8 =