Filiado à:

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Ladrilhos Hidráulicos, Produtos de Cimento, Fibrocimento e Artefatos de Cimento Armado de Curitiba e Região

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Ladrilhos Hidráulicos, Produtos de Cimento, Fibrocimento e Artefatos de Cimento Armado de Curitiba e Região

Datafolha: Lula continua influente, Bolsonaro e Marina lideram sem o petista

Preso há dois meses e inelegível pelos critérios da Lei da Ficha Limpa, o petista lidera o único cenário de primeiro turno em que é testado, com 30% das intenções de voto

 

Pesquisa do Datafolha publicada neste domingo (10) mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) continua a ser o nome mais influente da corrida presidencial. Preso há dois meses e inelegível pelos critérios da Lei da Ficha Limpa, o petista lidera o único cenário de primeiro turno em que é testado, com 30% das intenções de voto. Também vence em outras três simulações de segundo turno – contra Jair Bolsonaro (PSL), 49% a 32%, Marina Silva (Rede), 46% a 31%, e Geraldo Alckmin (PSDB), 49% a 27%.

 

Além disso, a pesquisa aponta que 30% dos eleitores dizem que votariam com certeza num candidato indicado pelo petista e 17% dizem que talvez o fariam. Nas simulações sem o ex-presidente, mais de 40% dos seus eleitores dizem não ter em quem votar.

LEIA MAIS: Todas as pesquisas Datafolha

O Datafolha testou quatro cenários de primeiro turno (três deles sem Lula) e 12 de segundo turno. É a primeira pesquisa feita pelo instituto após agreve dos caminhoneiros.

Bolsonaro é destaque sem Lula

Em todas as simulações em que Lula está ausente, Bolsonaro lidera numericamente, com 19%, seguido de Marina – em dois casos ela aparece com 15% e em um com 14%. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.

O principal número positivo para Bolsonaro, contudo, é ter superado numericamente Lula na pesquisa espontânea, na qual não são apresentados nomes aos entrevistados. Nesse tipo de sondagem, o deputado federal tem 12% contra 10% do petista.No último Datafolha, de abril, Lula vencia Bolsonaro por 18% a 10% na espontânea.

LEIA MAIS: Moderados em agonia: o centro da política brasileira está cada vez mais perdido

Os dados da pesquisa espontânea são os únicos comparáveis com as sondagens anteriores. Na pesquisa estimulada, os nomes colocados ao entrevistado são diferentes em todos os cenários, o que prejudica a qualidade da comparação.

No primeiro dos quatro cenários de primeiro turno da pesquisa estimulada, Lula lidera com 30%, seguido de Bolsonaro (17%), Marina (10%), Alckmin (6%), Ciro Gomes (PDT) (6%), Alvaro Dias (Podemos) (4%).Diferenças entre cenários

No segundo cenário, com o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad no lugar de Lula pelo PT, Bolsonaro vai a 19%, Marina fica com 15%, Ciro tem 10%, Alckmin obtém 7% e Alvaro, 4%. Haddad tem 1%.

No terceiro, com o ex-governador da Bahia Jacques Wagner no lugar de Lula, Bolsonaro continua com 19%, Marina fica com 14%, Ciro tem 10%, Alckmin obtém 7% e Alvaro, 4%. Wagner fica com os mesmos 1% de Haddad.

No quarto cenário, sem candidato do PT, Bolsonaro continua com 19%, Marina fica com 15%, Ciro tem 11%, Alckmin obtém 7% e Alvaro, 4%.

Outros nomes

Em todos os cenários estimulados, Manuela D’Ávila (PC do B) e Rodrigo Maia (DEM) oscilam entre 1% e 2%. Aldo Rebelo (SDD), Fernando Collor de Mello (PTC), Flávio Rocha (PRB), Guilherme Afif (PSD), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo), João Goulart Filho (PPL), Josué Alencar (PR) e Levy Fidelix (PRTB) oscilam entre 0 e 1%. Paulo Rabello de Castro (PSC) não alcança 1% em nenhum cenário.

Segundo turno

Nos nove cenários de segundo turno sem Lula medidos pelo Datafolha, há equilíbrio entre os candidatos. Ciro tem 32% contra 32% de Alckmin. Bolsonaro empata em 33% contra Alckmin. Alckmin aparece com 36% contra 20% de Haddad. Marina tem 42% contra 32% de Bolsonaro. Quando a candidata da Rede enfrenta Alckmin, vence por 42% a 27%. Ciro tem 36% contra 34% de Bolsonaro e ganha de Haddad por 38% a 19%. Bolsonaro tem 36% contra 27% de Haddad. Por último, Marina ganha de Ciro por 41% a 29%.

Temer, o presidente mais impopular desde a redemocratização

A pesquisa mostra que a taxa de reprovação do presidente Michel Temer (PMDB) subiu 12 pontos porcentuais. Os que consideram seu governo péssimo ou ruim chegam a 82% contra 70% na última mostra do instituto, divulgada no dia 15 de abril. Os números confirmam Temer como o presidente mais impopular desde a redemocratização (1985): apenas 3% consideram sua gestão ótima ou boa e 14% regular.

Metodologia

Pesquisa presencial realizada pelo Datafolha de 6 a 7 junho de 2018 com 2.824 entrevistados em 174 municípios brasileiros. Encomendada pelo jornal Folha de S. Paulo. Registro no TSE: BR-05110/2018. Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais e para menos.

Pesquisa Datafolha – Junho 2018

Veja aqui esta pesquisa em detalhes

Com Lula

Sem Lula, com Haddad

Sem Lula, com Jaques Wagner

Sem o PT

 

Sem candidato: Brancos, nulos e indecisos. Veja gráfico com a evolução dos votos brancos e nulos

Rejeição

Em quem você não votaria de jeito nenhum?

 

Veja aqui esta pesquisa em detalhes

Todos os dados da pesquisa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + quinze =

pesquisa cenário candidato entrevistados
1º turno 1. Com Lula Lula 30%
    Sem candidato 21%
    Jair Bolsonaro 17%
    Marina Silva 10%
    Geraldo Alckmin 6%
    Ciro Gomes 6%
    Alvaro Dias 4%
  2. Sem Lula, com Haddad Sem candidato 33%
    Jair Bolsonaro 19%
    Marina Silva 15%
    Ciro Gomes 10%
    Geraldo Alckmin 7%
    Alvaro Dias 4%
    Fernando Haddad 1%
  3. Sem Lula, com Jaques Wagner Sem candidato 33%
    Jair Bolsonaro 19%
    Marina Silva 14%