Filiado à:

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Ladrilhos Hidráulicos, Produtos de Cimento, Fibrocimento e Artefatos de Cimento Armado de Curitiba e Região

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Ladrilhos Hidráulicos, Produtos de Cimento, Fibrocimento e Artefatos de Cimento Armado de Curitiba e Região

MP que asfixia movimento sindical pode cair

Media de Bolsonaro pretende aniquilar a resistência dos trabalhadores ao seu projeto neoliberal.

 

 

Matéria do jornal Folha de S. Paulo diz que a Medida Provisória (MP) que dificulta contribuição sindical pode cair. “Governo abre negociação para deixar expirar medida que proibiu desconto automático em troca de apoio à Previdência”, diz o texto. Lideranças das principais centrais dizem que, do jeito que está, a MP pode asfixiá-las. Por isso, pressionam seus parlamentares a barganhar um acordo com o governo em troca da “reforma” da Previdência, segundo a matéria.



“Neste momento, lideranças parlamentares e assessores do governo afirmam que não se trata de uma troca. Reconhecem, no entanto, que a oposição à MP uniu as centrais e os deputados que representam a causa trabalhista no Congresso, e esse bloco pode atrapalhar o avanço da Previdência”, afirma.



Líder do governo



De acordo com o jornal, na segunda-feira (29) o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o dirigente nacional da UGT, Ricardo Patah, e prometeu marcar uma reunião com técnicos do governo para, segundo o sindicalista, “abrir diálogo”. A UGT é a mais próxima do governo entre as grandes centrais. “Essa MP é péssima para o movimento sindical, é inconveniente. O ideal seria que ela caducasse”, disse Patah.



A matéria ressalta que o Ministério da Economia, responsável pela formulação da MP, resiste, e a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), promete desengavetar o projeto indicando um relator ainda nesta semana. “A maioria dos líderes partidários é contra a volta do imposto sindical”, afirmou ela.
 
Vermelho
 
Fonte:sintracimento.org.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + dezoito =