Filiado à:

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Ladrilhos Hidráulicos, Produtos de Cimento, Fibrocimento e Artefatos de Cimento Armado de Curitiba e Região

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Ladrilhos Hidráulicos, Produtos de Cimento, Fibrocimento e Artefatos de Cimento Armado de Curitiba e Região

Comissão da reforma da Previdência debate BPC e abono salarial

Reprodução/TV Câmara
Trabalho - previdência - agência INSS trabalhadores aposentadorias benefícios previdenciários
Debate de hoje faz parte de um cronograma de dez audiências que a comissão sobre Reforma da Previdência realiza em maio

A comissão especial da reforma da Previdência realiza audiência pública hoje para debater o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o abono salarial. Durante a semana, diferentes pontos da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 6/19 serão debatidos no colegiado.

O debate faz parte do cronograma aprovado pelo colegiado que prevê a realização de dez audiências neste mês

Foram convidados:

– assessor especial da Presidência da República, Arthur Bragança de Vasconcelos Weintraub; 

– – o diretor de Programa na Secretaria Especial de Previdência e Trabalho no Ministério da Economia, Leonardo Alves Rangel;

– a pesquisadora no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Luciana de Barros Jaccoud; e 

– o professor do Instituto de Economia da Universidade de Campinas (Unicamp), Pedro Rossi.

A proposta

A Proposta de Emenda à Constituição 6/19 pretende alterar o sistema de Previdência Social para os trabalhadores do setor privado e para os servidores públicos de todos os Poderes e de todos os entes federados (União, estados e municípios). A idade mínima para se aposentar será de 65 anos para os homens e 62 para as mulheres. Há regras de transição para os atuais contribuintes.

Entenda a tramitação da reforma da Previdência

O texto retira da Constituição vários dispositivos que hoje regem a Previdência Social, transferindo a regulamentação para lei complementar. O objetivo, segundo o governo, é conter a diferença entre o que é arrecadado pelo sistema e o montante usado para pagar os benefícios. Em 2018, o déficit previdenciário total – setores privado e público mais militares – foi de R$ 264,4 bilhõe

Fonte:sintracimento.org.br

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + catorze =