Filiado à:

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Ladrilhos Hidráulicos, Produtos de Cimento, Fibrocimento e Artefatos de Cimento Armado de Curitiba e Região

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Ladrilhos Hidráulicos, Produtos de Cimento, Fibrocimento e Artefatos de Cimento Armado de Curitiba e Região

Cocaína em avião desmorona narrativa de Bolsonaro

 
 

 

 

 

 

A vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, presidenta nacional do PCdoB, diz que o caso da apreensão de 39 quilos de cocaína no avião presidencial, na Espanha, é muito grave e no “mínimo desmorona” a narrativa de Bolsonaro na área de segurança. 



Por Iram Alfaia

Foto: Reprodução

Luciana Santos avaliou a apreensão de drogas no avião presidencialLuciana Santos avaliou a apreensão de drogas no avião presidencial

“Nós estamos vendo um governo que tinha uma narrativa de colocar o Brasil no eixo, inclusive desde o início quis incorporar (ser) aquele da segurança pública, mas o que nós vimos é que dentro do avião presidencial tinha 39 quilos de cocaína”, disse Luciana Santos, após participar da reunião da bancada do PCdoB na Câmara, nesta quarta-feira (26).



Segundo ela, o fato no mínimo desmorona todo o tipo de invólucro que envolve o governo no seu discurso contra a violência. 



“Um governo que tenta armar a população. Isso não é enfrentamento da violência, isso aumenta a violência. Em todo o país que isso aconteceu, nós não vimos a diminuição do crime contra a vida”, argumentou.



A presidenta do PCdoB avaliou que o governo Bolsonaro tem se caraterizado pela contradição. No caso do decreto das armas, lembrou que após ser derrotado no Congresso foi obrigado a voltar atrás. 



“São fatos que vão se apresentando à população com toda a clareza: um governo cheio de contradições e que é responsável pela própria instabilidade e crise política que se estende por tanto tempo”, avaliou.



Vazamentos



O vazamento das conversas entre o então juiz Sério Moro (ministro da Justiça) e o procurador Deltan Dellagnol reveladas pelo The Intercept Brasil, segundo a presidente do PCdoB, revela outro cenário grave.



No caso da Lava Jato, Luciana Santos lembrou que o PCdoB sempre foi firme no combate à corrupção, mas condena o uso da operação para interesses escusos. 



“Ali está claro que existiu um projeto político e um projeto pessoal para se beneficiar da situação. O que nós vimos foi um conluio, uma troca de mensagens, que independente da forma, o que importa é conteúdo que visava um projeto político”.
Fonte:sintracimento.org.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − onze =